Blog da Online Traders

O que é GAP e como interpretar no gráfico?

Inscreva-se em nossa Newsletter

Deixe seu email e tenha acesso antes aos nossos conteúdos.

O que é GAP e como interpretar no gráfico?

O que é GAP e como interpretar no gráfico

Já observou GAPs nos gráficos candlesticks? Aprenda o que são e como interpretá-los da forma correta.

 

Quem opera no day trade com certeza já se deparou com um movimento dos gráficos que é chamado de GAP.

O GAP pode causar um pouco de confusão em quem não entende completamente seu significado, ou não sabe interpretar o que ele quer dizer.

Existe mais de um tipo de GAP e no post de hoje você vai aprender a interpretar cada um deles.

Preparado? Então leia o texto até o final e saiba o que fazer para se aproveitar dos GAPs.

 

O que é GAP?

GAP vem do inglês, que significa vão, lacuna ou abertura. Ele nada mais é do que um espaço vazio entre uma coisa e outra.

Vamos pegar um exemplo fora do day trade para que você entenda melhor.

Imagine que o preço da soja esteja a R$20,00 até o dia de ontem.

De repente, hoje, você vê que o preço saltou para R$50,00. Verificando as notícias do dia, houve uma queda brusca na produção que gerou o aumento dos preços.

Você não conseguirá mais comprar soja por menos de R$50,00, e essa diferença é chamada de GAP.

 

Como acontecem os GAPs na bolsa de valores?

Os GAPs na bolsa de valores são espaços vazios nos preços, comumente usados no day trade.

Normalmente, eles acontecem entre o fechamento de um pregão e a abertura do próximo.

Entretanto, isso não é uma regra. Durante o pregão também podem ocorrer GAPs.

Se o trader acompanhar de perto essa movimentação, é possível ganhar dinheiro em cima de GAPs.

Entretanto, a perda também ocorre. Imagine que você tem um ativo a R$30,00 e stop loss em R$25,00. Porém, ocorreu um GAP e o ativo foi vendido a R$19,00.

Se não houvesse stop loss, a perda seria ainda maior. Por isso é tão importante configurar também o stop offset.

 

Por que acontecem os GAPs?

Alguns dos principais motivos para acontecerem GAPs são:

  • Notícias sobre resultados, fusões, aquisições, tragédias e processos de empresas;
  • Novas regulamentações, mudanças ou restrições no setor;
  • Decisões governamentais desde a esfera municipal até a federal, na economia doméstica ou internacional;
  • Baixa liquidez de ativos pouco conhecidos.

Um exemplo são as ações da VALE, que despencaram de R$56,15 para R$45,00 no dia da tragédia de Brumadinho em Janeiro de 2019.

 

Para que os GAPs podem ser usados?

Os GAPs podem ser usados para lucrar na bolsa de valores.

 

Indicativo de direcionamento

Uma correta leitura dos GAPs junto aos candles pode ajudar a identificar a tendência de direcionamento de um ativo.

Entretanto, um GAP isoladamente não significa nada, uma vez que o mercado é imprevisível.

Só será possível fazer uma análise depois de identificado o tipo de GAP, o que só pode ser feito após aparecerem os primeiros candles após o GAP.

 

Indicativo do preço

Os GAPs também podem trazer uma estimativa de preço de um ativo.

Geralmente, quanto maior o GAP, mais forte será o movimento predominante, seja de compra ou venda.

 

Análise técnica com os GAPs

Os GAPs estão presentes somente nos gráficos de candlesticks, então, são parte da análise técnica.

Um candlestick consiste nos 4 preços de um ativo no período: abertura, fechamento, máxima e mínima.

Ao utilizar ferramentas e estratégias de análise técnica junto aos GAPs, o trader consegue prever melhor as movimentações em sua operação.

A maioria dos traders de sucesso costuma unir os GAPs com os candlesticks, Teoria de Dow e Médias Móveis.

 

Quais os tipos de GAPs?

Depois de entender o que são os GAPs, você precisa saber diferenciar os 4 tipos existentes.

 

GAP de área

Este é o tipo mais comum de GAP, inclusive sendo chamado de “GAP comum”.

Ele ocorre em regiões de congestão no gráfico. Ou seja, quando um ativo está oscilando menos que o normal.

Isso pode indicar uma oscilação muito brusca na abertura do pregão seguinte.

É mais comumente encontrado em gráficos de ativos com baixa liquidez, e sua origem tende a ser a falta de interesse de compra por parte dos investidores.

 

GAP de fuga

Acontece diante de rompimento de suporte ou resistência. É geralmente seguido por um aumento no número de negociações, tanto para a compra quanto para a venda.

Porém, é necessário acompanhar o gráfico quando eles ocorrem, pois podem não se confirmar.

 

GAP de continuação

Ocorre quando há uma continuidade prolongada na alta ou baixa de um ativo.

Pode demorar até que seja fechado, e gera um alto volume de negociações quando ocorre.

 

GAP de exaustão

Sinaliza o fim de uma tendência de alta ou baixa, por isso o nome exaustão.

Isso significa que a força compradora ou vendedora pode perder força, e a situação pode se reverter rapidamente.

 

Entendeu como funcionam os GAPs? Agora que você está mais preparado para enfrentá-los, lembre-se de revisar o seu Gerenciamento de Risco em Operações.

Posts Relacionados