Gerenciamento de risco em operações – Como funciona e para que serve

Inscreva-se em nossa Newsletter

Deixe seu email e tenha acesso antes aos nossos conteúdos.
Gerenciamento de risco em operações - Como funciona e para que serve

Gerenciamento de risco em operações – Como funciona e para que serve

Entenda o que é o gerenciamento de risco em operações de trade e para que ele serve.

 

Quem opera na bolsa de valores sabe que ninguém consegue controlar o mercado, mas que ele vai para onde deve ir.

Por isso, ao invés de tentar “secar o cubo de gelo”, o investidor prudente é aquele que controla suas próprias ações e decisões.

Dentro desse controle, está o gerenciamento de risco, que é parte fundamental de qualquer estratégia de trade.

No post de hoje, você verá dicas de como conduzir uma boa estratégia tendo em vista as variações do mercado para minimizar riscos em suas operações.

 

O que é o gerenciamento de risco? 

As operações de curto prazo como o day trade são as que mais expõem o investidor ao risco, e fazem isso para aproveitar as rápidas oscilações dos ativos e gerar lucro.

Dessa forma, há grandes possibilidades de se ganhar muito dinheiro em pouco tempo, mas há também o risco de perder rapidamente.

Nem mesmo o mais eficiente dos métodos de operação pode garantir 100% de sucesso ao trader.

É aí que entra o gerenciamento de risco, com o objetivo de promover a sustentabilidade nos negócios e operações do trader.

O gerenciamento de risco é o que dá ao trader o poder de controlar suas operações com mais destreza e segurança.

Com ele, o trader determina alguns parâmetros para guiar suas operações, como:

  • Stop loss
  • Número de contratos operados
  • Relação de ganho e perda
  • Meta de ganho
  • Limite de perda por trade, dia, mês e ano

Esses parâmetros são estabelecidos de acordo com o capital disponível, o tipo de ativo negociado e o perfil de cada investidor.

 

Como montar uma boa estratégia usando o gerenciamento de risco? 

É com uma estratégia de trading bem definida que o investidor consegue criar uma rotina prática voltada para seus objetivos.

Assim, ele também realiza uma análise crítica de seus resultados. Sem isso, o trader fica à mercê da subjetividade e da confusão.

 

Stop loss 

Uma das principais etapas do gerenciamento de risco é definir o stop loss.

A hora de parar é fundamental para evitar grandes prejuízos, e é neste momento que o trader define a relação de ganho e perda. É necessário estabelecer uma porcentagem limite que você está disposto a perder.

Digamos que você investe R$ 1.000,00 e não quer perder mais do que R$ 80,00.

Então, seu stop loss tem que ser, no máximo, 8% do capital investido.

Assim, com o stop loss, o trader define um percentual aceitável de perda. Quando o ativo atinge esse percentual, ele é vendido automaticamente para garantir que você não continue perdendo.

Portanto, mesmo que você não esteja acompanhando as oscilações do mercado, o ativo é vendido antes que a situação fique ainda pior.

Perdas acima de 2% em operações de day trade podem ser um grande problema. É recomendado nunca entrar em uma operação em que esse limite seja ultrapassado.

 

Meta de ganho 

A meta de ganho serve para impedir que você perca o que já ganhou. Assim que atingir sua meta, você deve parar de operar e resistir à tentação.

Isso faz parte da sua estratégia. É melhor ganhar sempre e ganhar menos do que ganhar muito e na próxima operação perder muito.

 

Tamanho do lote 

O gerenciamento de risco em operações também precisa determinar o tamanho do lote a ser operado, para que você não invista mais do que realmente pode.

Para iniciantes, são recomendados os lotes menores. Entretanto, até mesmo os traders mais experientes devem operar em lotes reduzidos nos momentos de instabilidade e volatilidade do mercado.

 

Momento de mercado

Entender o momento atual do mercado e como isso pode influenciar na sua posição é essencial para evitar surpresas desagradáveis.

É preciso antecipar os acontecimentos que podem trazer muitas oscilações nos preços, ficando atento aos movimentos do mercado.

 

Por que usar o gerenciamento de risco? 

Não são raras as histórias de traders que perderam tudo o que investiram e quebraram na bolsa.

Algo em comum entre essas histórias é sempre a ausência de um gerenciamento de risco eficiente.

Não adianta ter o conhecimento e a educação financeira sempre em dia se você não faz a gestão de riscos como deve ser feita.

Utilizando mecanismos de gerenciamento de risco e sendo fiel à sua estratégia, você evita a tentação de se deixar levar por impulsos e usar todo o seu dinheiro de uma vez só.

Para finalizar, o gerenciamento de risco caminha lado a lado com a disciplina. Lembre-se de que é preciso estar centrado e focado em seus objetivos para operar com segurança.

A ganância é diferente da ambição. Almeje ganhar sempre mais, porém, nunca negligencie os riscos confiando em uma sorte que não existe.